5 Livros – Para todos os Jovens

collage

Hoje é Dia dos Jovens! Parabéns pra você!

São considerados jovens as pessoas entre 15 e 29 anos, mas quem lê mantém o espírito sempre jovem.

Montando a lista, me peguei pensando sobre o que é literatura juvenil? E quando a gente passa a gostar de tramas mais complexas e refinadas ao invés dos clássicos contos de fadas? Não sei exatamente quando se dá a transição, ou se existem livros com faixa etária definida, mas separei alguns livros que na nossa opinião não podem faltar na sua lista, jovem leitor!

1. Belas Maldições, Terry Pratchett e Neil Gaiman

livros0006Dois dos meus autores favoritos, se juntaram e escreveram essa história que pode ser considerada infantil à primeira vista, mas só a perspicácia de um leitor experiente pode captar as incríveis piadas e inúmeras referências.

Segundo Agnes Nutter, o mundo vai acabar no próximo sábado. Crowley (demônio) e Aziraphale (anjo) têm que impedir que isso aconteça e para tanto, devem encontrar e matar o Anticristo que é um garoto de 11 anos, que parece ser boa gente.

.

.

2. O Pistoleiro – Col. A Torre Negra Vol. 1, Stephen King

Capa O PistoleiroEscrito por King quando ele tinha apenas 19 anos, indico para quem quer entender um pouco como a cabeça de um dos mestres da literatura funciona.

O Pistoleiro conta a história de Roland Deschain, último descendente do clã de Gilead, e derradeiro representante de uma linhagem de implacáveis pistoleiros desaparecida desde que o Mundo Médio onde viviam “seguiu adiante”. Este livro é o primeiro dos sete volumes de série A Torre Negra, obra mais ambiciosa do escritor Stephen King.

.

.

3. O Rei do Inverno – As Crônicas de Artur Vol. 1, Bernard Cornwell

o rei do invernoPara quem é fã dos clássicos, essa é uma história da Idade Média que até as garotas podem gostar, contada por um dos personagens que te pega pela mão e leva pra dentro de um trama envolvente.

O Rei do Inverno conta a mais fiel história de Artur, sem os exageros míticos de outras publicações. A partir de fatos, este romance genial retrata o maior de todos os heróis como um poderoso guerreiro britânico, que luta contra os saxões para manter unida a Britânia, no século V, após a saída dos romanos. “O livro traz religião, política, traição, tudo o que mais me interessa,” explica Cornwell, que usa a voz ficcional do soldado raso Derfel para ilustrar a vida de Artur. O valoroso soldado cresce dentro do exército do rei e dentro da narrativa de Corwell até se tornar o melhor amigo e conselheiro de Artur na paz e na guerra.

.

4. O Apanhador no Campo de Centeio, J. D. Salinger

o-apanhadorQuando se fala nesse livro logo podemos embarcar em mistérios e teorias da conspiração, um tanto perturbador, mas aposto que você vai ficar vidrado até ultima letra.

Um garoto americano de 16 anos relata com suas próprias palavras as experiências que ele atravessa durante os tempos de escola e depois. Revela o que se passa em sua cabeça. O que será que um adolescente pensa sobre seus pais, professores e amigos?

.

.

5. Eu sou o mensageiro, Markus Zusak

eu sou o mensageiroCom um linguajar despojado e despretensioso, impossível não se identificar com as inseguranças de Ed, e sofrer junto com seus tropeços.

Markus Zusak, autor do best seller “A Menina que Roubava Livros”, nos fornece essas respostas bem aos poucos neste incomum romance de suspense, escrito antes do seu maior sucesso. O que se sabe é que Ed, um dia, teve a coragem de impedir uma assalto a banco. E que, um pouco depois disso, começou a receber cartas anônimas.

Anúncios

LOVE – A história de Lisey, de Stephen King

“… o lago em que todos nós vamos beber e nadar, e em cujas margens pegaremos um peixinho… o lago que algumas almas destemidas singram em seus frágeis barcos de madeira atrás dos peixes grandes… o lago da vida, a taça da imaginação…”

Se você se basear no que encontra por aí a respeito deste livro deve imaginar, como eu imaginei, que é um romance romântico, mas você precisa ter uma coisa em mente: é um livro do Stephen King.

Demorei muito pra te encontrar começar a escrever essa resenha por que é uma história pesada e precisa de um tempo de reflexão. Ao contrário de muitas histórias que li recentemente, que me fizeram ter vontade de sair pulando  e contando pra todo mundo sobre o quão legal elas eram, o final de LOVE me deu foi um grande alívio por ter terminado e poder voltar à sanidade.
Você pode encará-lo como um terror fantasmagórico ou psiquiátrico, escolha o que te incomodar menos.

Começando analisar pelo título, podemos imaginar que a tal da Lisey seja a personagem principal, e pode até ser, já que os fatos acontecem fisicamente com ela, mas a maior presença que sentimos é de Scott Landon, escritor e falecido marido de Lisey.
Scott está por todo o lado, no antigo celeiro/escritório, nos móveis, nas expressões e apelidos compartilhados pelo casal, nas músicas citadas e o tempo todo na mente de Lisey, até pensando por ela.

A história se inicia dois anos após a morte de Scott quando Lisey finalmente sente que é a hora de desbravar e despachar os pertences deixados por ele. A tarefa se mostra ainda mais complicada quando Lisey se vê ao mesmo tempo enfrentando um Caubói do Espaço Sideral (como eles chamam os fãs cheios de teorias e birutas), tentando ajudar sua irmã que está passando por sérios problemas psiquiátricos e montando um estranho quebra-cabeça para a compreensão da verdadeira história de Scott, uma caça ao bool, uma caça ao tesouro.

Lisey é conduzida por pistas direto para a infância de seu amado, e à um lugar onde ele se refugia, de onde ele tira sua inspiração, onde está sua loucura e sua ruína.

São muitos acontecimentos e muitas lembranças agrupadas em um curto espaço de tempo, e tudo se encaixa perfeitamente, como se tivesse sido detalhadamente planejado por Scott Landon. Lisey encontra seu prêmio no final.

Refletindo sobre tudo, concluo que LOVE é sim uma história de amor, uma história sobre como é difícil e às vezes absurdo amar, uma história sobre como Lisey amou Scott apesar de não compreendê-lo, apesar do medo que ele lhe proporcionava, apesar de tudo que teve que abrir mão para ficar ao seu lado.


Dica:
Já que estou falando do mestre do horror, se você gosta do gênero, e ainda não conhece o filho do King, dê uma chance ao príncipe(hein? hein?).
Joseph Hillstrom King, mas publicamente como Joe Hill, é autor de A Estrada da Noite e Fantasmas do Século XX, são obras que me fizeram deixar a luz acesa por mais tempo.