Fábulas, Monteiro Lobato

http://visaodigital.org/tiatati/tag/historia-de-monteiro-lobato/

Fábulas não são lições de História Natural, mas de moral – explica dona Benta para as curiosas crianças que questionam o fato dos bichinhos falarem nas histórias. A partir daí, a vovó mais famosa do Brasil nos encanta com contos onde animais e elementos da natureza se unem para nos trazer valiosas lições sobre a vida e situações cotidianas.

imagesNo dia em que comemora-se o aniversário de Monteiro Lobato – um dos maiores escritores brasileiros e precursor da literatura infantil no país – o livro Fábulas ganha espaço aqui no blog. Uma obra com sonoridade e ritmo que pode ser lida por crianças e adultos e provocar diferentes reflexões e aprendizados.

Muitas das fábulas são, nas palavras de dona Benta, dolorosas, e faz adultos questionarem se aquilo é realmente literatura infantil. Mas a lição por trás das palavras nos faz entender que a vida não é um favo de mel e que devemos aprender com os acontecimentos para seguir em frente.

A didática vovó também dá voz às críticas de Monteiro Lobato quando diz que a gramática é criada da língua e não dona, e como tal, serve os propósitos da narrativa. Além disso, dona Benta explica às crianças a diferença entre literatura com e sem aspas. A primeira se mostra como um pavão, enfeitada, mas muitas vezes desnecessária. Quando as aspas caem, no entanto, nasce o texto puro, apenas com o essencial para transmitir sua mensagem.

Com pérolas como “Ajuda-te, que o céu te ajudará” e “Contra esperteza, esperteza e meia”, o livro nos prepara e carrega cada vez mais para dentro do universo fantástico do Sítio do Pica Pau Amarelo.

5 Livros – Para todos os Jovens

collage

Hoje é Dia dos Jovens! Parabéns pra você!

São considerados jovens as pessoas entre 15 e 29 anos, mas quem lê mantém o espírito sempre jovem.

Montando a lista, me peguei pensando sobre o que é literatura juvenil? E quando a gente passa a gostar de tramas mais complexas e refinadas ao invés dos clássicos contos de fadas? Não sei exatamente quando se dá a transição, ou se existem livros com faixa etária definida, mas separei alguns livros que na nossa opinião não podem faltar na sua lista, jovem leitor!

1. Belas Maldições, Terry Pratchett e Neil Gaiman

livros0006Dois dos meus autores favoritos, se juntaram e escreveram essa história que pode ser considerada infantil à primeira vista, mas só a perspicácia de um leitor experiente pode captar as incríveis piadas e inúmeras referências.

Segundo Agnes Nutter, o mundo vai acabar no próximo sábado. Crowley (demônio) e Aziraphale (anjo) têm que impedir que isso aconteça e para tanto, devem encontrar e matar o Anticristo que é um garoto de 11 anos, que parece ser boa gente.

.

.

2. O Pistoleiro – Col. A Torre Negra Vol. 1, Stephen King

Capa O PistoleiroEscrito por King quando ele tinha apenas 19 anos, indico para quem quer entender um pouco como a cabeça de um dos mestres da literatura funciona.

O Pistoleiro conta a história de Roland Deschain, último descendente do clã de Gilead, e derradeiro representante de uma linhagem de implacáveis pistoleiros desaparecida desde que o Mundo Médio onde viviam “seguiu adiante”. Este livro é o primeiro dos sete volumes de série A Torre Negra, obra mais ambiciosa do escritor Stephen King.

.

.

3. O Rei do Inverno – As Crônicas de Artur Vol. 1, Bernard Cornwell

o rei do invernoPara quem é fã dos clássicos, essa é uma história da Idade Média que até as garotas podem gostar, contada por um dos personagens que te pega pela mão e leva pra dentro de um trama envolvente.

O Rei do Inverno conta a mais fiel história de Artur, sem os exageros míticos de outras publicações. A partir de fatos, este romance genial retrata o maior de todos os heróis como um poderoso guerreiro britânico, que luta contra os saxões para manter unida a Britânia, no século V, após a saída dos romanos. “O livro traz religião, política, traição, tudo o que mais me interessa,” explica Cornwell, que usa a voz ficcional do soldado raso Derfel para ilustrar a vida de Artur. O valoroso soldado cresce dentro do exército do rei e dentro da narrativa de Corwell até se tornar o melhor amigo e conselheiro de Artur na paz e na guerra.

.

4. O Apanhador no Campo de Centeio, J. D. Salinger

o-apanhadorQuando se fala nesse livro logo podemos embarcar em mistérios e teorias da conspiração, um tanto perturbador, mas aposto que você vai ficar vidrado até ultima letra.

Um garoto americano de 16 anos relata com suas próprias palavras as experiências que ele atravessa durante os tempos de escola e depois. Revela o que se passa em sua cabeça. O que será que um adolescente pensa sobre seus pais, professores e amigos?

.

.

5. Eu sou o mensageiro, Markus Zusak

eu sou o mensageiroCom um linguajar despojado e despretensioso, impossível não se identificar com as inseguranças de Ed, e sofrer junto com seus tropeços.

Markus Zusak, autor do best seller “A Menina que Roubava Livros”, nos fornece essas respostas bem aos poucos neste incomum romance de suspense, escrito antes do seu maior sucesso. O que se sabe é que Ed, um dia, teve a coragem de impedir uma assalto a banco. E que, um pouco depois disso, começou a receber cartas anônimas.

5 livros reportagens pra você ter na estante

Livro Reportagem

Na semana em que se comemora o Dia do Jornalista – 7 de abril, trouxemos sugestões de bons livros reportagens que não podem faltar na sua lista:

440718

1. O Reino e o Poder, Uma História do New York Times – Gay Talese

Talese expõe a filosofia e os princípios editoriais do Times, descreve as mudanças que o jornal sofreu ao longo de mais de um século de existência, identifica suas contradições, analisa a atuação de suas figuras-chave e destaca suas relações (às vezes incestuosas) com o poder político. Também reconstitui reportagens de impacto, como os primeiros relatos do bombardeio americano sobre a população civil do Vietnã do Norte, decisivos para a mudança da opinião pública sobre a guerra.Companhia das Letras.

gomorra112. Gomorra, A história real de um jornalista infiltrado na máfia napolitana – Roberto Saviano

O jornalista Roberto Saviano – que encontra-se sob proteção policial por estar ameaçado de morte pela Camorra – se infiltrou em setores camorristas para descobrir as artérias do funcionamento da máfia napolitana. Saviano ficou enclausurado por vários meses por conta das denúncias reveladas no livro-reportagem ‘Gomorra’. Editora Bertrand Brasil.

.

.

tumblr_m5qcwuwfl61qdpkq5o1_4003. Hiroshima – John Hersey

A mais importante reportagem do século XX – um retrato de seis sobreviventes da bomba atômica escrito um ano depois da explosão. Quarenta anos mais tarde, o repórter reencontra seus entrevistados.Hiroshima permitiu que o mundo tomasse consciência do catastrófico poder de destruição das armas nucleares. Companhia das Letras.

.

.

images4. O fim da guerra, A maconha e a criação de um novo sistema para lidar com as drogas – Denis Russo Burgierman

O planeta tem cerca de 210 milhões de usuários de drogas ilícitas – dos quais 165 milhões usam somente maconha. Nesta obra, o autor percorre o mundo para conhecer as políticas de combate à canábis. A Denise já publicou a resenha d’O fim da guerra (clique aqui), vale a pena ler! Editora Leya Brasil.

.

.

images-(1)5. Abusado, O dono do morro Dona Marta – Caco Barcellos

O livro é uma lição sobre a lógica, os meandros e o ‘modus operandi’ das corporações criminosas que comandam o tráfico de drogas e outras atividades criminosas no Estado. Através da história de Juliano VP temos um retrato da ocupação do morro pelo Comando Vermelho e da implantação de sua disciplina. Mas não é apenas um livro sobre a história do tráfico. Juliano é um personagem fascinante, um criminoso com refinado gosto literário, preocupado com o destino da comunidade favelada do Rio de Janeiro e cujos contatos iam dos violentos chefes do CV até importantes intelectuais cariocas. Editora Record.

5 Livros para comemorar o Dia Internacional do Livro Infantil

livro infantil

No século XVII, a literatura infantil era uma ferramenta para educar as crianças de acordo com os costumes morais da sociedade. Quatro séculos depois, os livros não apenas instruem, mas fomentam a imaginação das crianças, incentivando a formação de jovens leitores, que se entregam ao mundo de fantasia e descobertas que as narrativas proporcionam.

Hoje, 2 de abril,comemora-se o Dia Internacional do Livro Infantil, em homenagem ao escritor dinamarquês Hans Christian Andersen, em virtude das inúmeras histórias criadas por ele. Você pode nunca ter ouvido falar de Andersen, mas com certeza teve sua infância cercada por suas obras: O Patinho Feio, O Soldadinho de Chumbo, A Pequena Sereia, As Roupas Novas do Imperador.

“Tanto os clássicos da literatura infantil quanto os livros somente ilustrados, proporcionaram o desenvolvimento do imaginário das crianças, bem como o aspecto cognitivo, desenvolvendo seu aprendizado em várias áreas da vida” – afirma a pedagoga Jussara de Barros no site Brasil Escola.

A International Board on Books for Young People (www.ibby.org) oferece, anualmente, o troféu Hans Christian aos melhores escritores de livros infantis. O Brasil já entrou para lista duas vezes: em 1982 com Lygia Bojunga Nunes e em 2000 com Ana Maria Machado.

Veja abaixo 5 indicações da Amora Literária para comemorar o Dia Internacional do Livro Infantil:

ArquivoExibir1. Contos de Hans Christian Andersen, Hans Christian Andersen

O livro traz 80 contos traduzidos do dinamarquês (língua original de Andersen) para o português. As histórias e os contos escritos por Andersen refletem os contrastes sociais da época. Ao confrontar os padrões de comportamento dos poderosos e dos desprotegidos, Andersen defendeu seu ideal de igualdade entre os homens. A infância pobre do escritor foi base para suas histórias. Editora Paulinas

.

Fantásticos Livros Voadores de Modesto Máximo2. Fantásticos Livros Voadores de Modesto Máximo, William Joyce

A história é simples. O que não é tão simples é a paixão pelos livros que a história contém. E não é simples porque é sutil. Passa pela combinação do texto, em frases curtas e diretas, com os desenhos, riquíssimos, cheios de detalhes. Editora Rocco Jovens Leitores. Você também pode ver o curta originado pelo livro clicando aqui.

Meu Pé de Laranja Lima3. Meu Pé de Laranja Lima, José Mauro de Vasconcelos

Na obra juvenil mais conhecida de José Mauro, a pobreza, a solidão e o desajuste social vistos pelos olhos ingênuos de uma criança de seis anos. Nascido em uma família pobre e numerosa, Zezé é um menino especial, que envolve o leitor ao revelar seus sonhos e desejos, por meio de conversas com o seu pé de laranja lima, encontrando na fantasia a alegria de viver. Editora Melhoramentos

.

Asterix-nos-Jogos-Olímpicos4. Asterix nos Jogos Olímpicos, Rene Goscinny, Albert Uderzo, R. Goscinny
Asterix é uma série de histórias em quadrinhos criada na França por Albert Uderzo e René Goscinny no ano de 1959. Até os dias de hoje foram lançados 34 álbuns, que venderam 350 milhões exemplares em todo o mundo[6], um dos quais é uma compilação de histórias curtas. Editora Record

.

.

.

Reinações-de-Narizinho

5. Reinações de Narizinho, Monteiro Lobato

Você quer descobrir como a boneca Emília começou falar e nunca mais fechou a torneirinha de asneiras? E conhecer de perto Lúcia, a menina do narizinho arrebitado e neta de Dona Benta, que está sempre inventando novas reinações? Pois então mergulhe nas páginas deste livro, que tem início com a primeira história infantil escrita por Monteiro Lobato. Editora Globo

Desejo Amora: A Espuma dos Dias

Adoro filmes franceses, tanto que meu favorito é O Fabuloso Destino de Amélie Poulain, essa lindeza, que assisto tantas vezes possíveis. Ao contrário do padrão hollywoodiano, que já nos é tão intuitivo, a maioria dos filmes franceses é sempre cheio de surpresas e reviravoltas.

A Espuma dos Dias é o novo filme de Audrey Tautou, a Amélie, baseado no livro homônimo do escritor Boris Vian e dirigido por Michel Gondry (Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças), o trailer mostra um tanto de surrealismo e fantasia para contar essa história que parece no mínimo inusitada.

Não encontrei a sinopse oficial do livro na internet, mas pelo que pesquisei se trata da história do casal Colin e Chlöe, Colin é um homem abastado que gasta todo seu patrimônio tentando salvar sua esposa de um rara doença, uma vitória-régia cresce dentro do seu pulmão e ela precisa estar em constante contato com flores frescas.

Trailer sem legenda, sorry, se você (assim como eu) não fala francês, foca na encantadora fotografia:

Fiquei com vontade de ler, mas acredito que vou ver primeiro o filme, que se estrear por aqui, só em meados de junho deste ano.

Vi aqui!

A Hospedeira, Stephenie Meyer

E se a Terra fosse invadida por seres extraterrestres que ao invés de detruição em massa e horror trouxessem paz, ordem e igualdade? Mas a humanidade não veria essa mudança, pois o preço a ser pago por essa bondade vinda dos céus, seria perder sua consciência e suas lembranças, nossos corpos seriam meras cascas habitadas por cada um desses novos seres, cada uma dessas “almas”.

Você lutaria conta essa ameaça quase silenciosa? Você resistiria?

Estreou ontem nos cinemas o filme A Hospedeira, baseado no livro de Stephenie Meyer, a famosa autora da saga Crepúsculo.

AHospedeiraDessa vez ao invés de explorar o nicho vampírico, Meyer cria todo um novo cenário, onde a Terra foi invadida por alienígenas um tanto diferentes dos que costumamos assistir e ler por aí.

A personagem principal é uma jovem que consegue ser tão frágil e tão forte ao mesmo tempo, onde será que já vimos isso? Melanie Stryder fazia parte da pequena resistência humana, até ser capturada pelos buscadores e possuída (!?) por uma alma antiga, batizada de Peregrina.

Apesar de Peregrina ser uma alma forte e experiente, os pensamentos e lembranças de Mel começam a chegar à superficie de sua consciência, até o ponto em que as duas passam a se comunicar mentalmente. Mel e Peg vão juntas, mas nem sempre concordando em seus pensamentos, em busca do esconderijo da resistência, onde estão os entes queridos de Mel, ao mesmo tempo em que são caçadas pelas autoridades alienígenas.

Com triângulos amorosos e conflitos adolecentes para todos os gostos, A Hospedeira com certeza conquistou os fãs quase órfãos de Meyer.

Minha opinião pessoal, é que é uma história cativante e original, que no final ficou devendo muito, pois poderia ter sido FODA, mas arregou, assim como o final de Crepúsculo (sim, eu li Crespúsculo, e assisti todos os filmes, pode para de rir agora), o que poderia ter sido épico, ficou xôxo.

Os atores escolhidos não se parecem com o que havia imaginado durante a leitura, a maioria é bem mais jovem, mas acredito que seja pelo público alvo, Diane Kruger está linda de vilã, e Saoirse Ronan(Hanna e Um Olhar do Paraíso), parece se encaixar muito bem como Mel.

Abaixo você confere o trailer:

 

Divórcio

– Eu quero o divórcio.

– Você tá falando comigo?

– Não, com a Fátima, minha outra esposa. O que você acha, Helena?

– Mas Carlos, o que mais você quer de mim? Eu faço o seu café, assisto o jornal com você e passo suas camisas.

– Você claramente não tem mais interesse em mim, então eu quero o divórcio.

Desligou a TV e acomodou-se no sofá. Carlos deveria ser o único homem na face da Terra que gostava de discutir o relacionamento.

– Carlos, depois de tanto tempo juntos, como você pode dizer uma coisa dessas?

– Eu vi você olhando pro Roberto na noite passada, quando ele veio jogar baralho aqui em casa.

– Mas é claro que eu estava olhando pro Roberto! Você viu a mancha na camisa dele? Eu não sei como a Lurdes deixa ele sair daquele jeito.

– Ah é? E pro Luiz, hein? Por que você estava olhando para o Luiz?

– E era possível olhar pra outra coisa que não aquele corte de cabelo horroroso? Quem o Luiz pensa que é, o Neymar?

Ele escondeu a risada. Helena era a mulher mais divertida que ele já conhecera, mas não podia ceder ao seu senso de humor naquele momento, eles estavam discutindo o relacionamento.

– Olha, Helena, diga o que quiser, mas eu sei que você não me ama mais.

– Carlos, meu querido, me diz como eu posso provar que você está errado?

– Faz um striptease pra mim!

– Hahaha, você sinceramente acha que eu estou em condições de fazer uma dança sensual?

– Tá vendo? Não me ama!

– Tá bom, se é isso que você quer, espera aqui que eu vou me preparar. E vê se não dorme!

– Eu não durmo se você não demorar – disse com o sorriso de um jovem tarado.

Quando Helena voltou para a sala, a camisola transparente mostrando os contornos do corpo, Carlos sabia que ela o amava, e teve a certeza de que casara com a mulher certa. Ficariam juntos para sempre!

Helena ligou o rádio e começou a dançar, virando de costas para provocá-lo. Subiu na mesa de centro com certa dificuldade – seus joelhos já não eram como antes. Quando virou para ver se Carlos estava gostando, viu o marido estatelado no sofá, a mão no peito e o olhar apavorado. Desceu o mais rápido que pode, ouvindo o corpo estralar. Chamou uma ambulância.

Quando os paramédicos chegaram, não sabiam a quem socorrer primeiro: a senhora com o quadril quebrado ou o velhinho que estava tendo um infarto porque sua esposa de 65 anos estava fazendo uma dança sensual. Sabiam, pelo menos, que havia amor ali.

Foto: Marina Rosso

Foto: Marina Rosso